Pular para o conteúdo principal

Mal Secreto, de Zuenir Ventura

O livro Inveja: Mal Secreto, de Zuenir Ventura, já começa com uma advertência: o que se vê a seguir é uma tentativa de escrever sobre a inveja, e não diretamente acerca da inveja. E é exatamente o que percebemos ao longo das 264 páginas do livro. O autor nos suga numa incrível história de medo, prazer e apuração jornalística. Logo no primeiro capítulo nos é apresentado Kátia, a filha ilegítima de uma mãe de santo no Rio de Janeiro. É partir dela que Zuenir Ventura desfiará uma teia de acontecimentos que nos levará uma reflexão sobre este mal secreto: a inveja.

O autor nos conta como surgiu a conversa sobre inveja pela primeira vez: foi numa viagem que fez a Angra dos Reis com sua esposa e mais duas mulheres. Ventura diz que não se lembra exatamente como o tema “inveja” apareceu na viagem, mas lembra de Dorrit, uma das viajantes, falando que o tema a fascinava pois se tratava de um assunto insidioso, inconfessável e inesgotável. A conversa dos dois foi se estendendo até a cidade de Lídice. Depois, ele conta que dois anos depois foi convidado pela Editora Objetiva a escrever sobre o tema inveja, numa série dos sete pecados capitais.

O interessante do livro é que o autor aceitou o tema mesmo sem ter total conhecimento acerca dele. É quase um ensaio pós-moderno com licenças literárias para escrever no coloquial, expondo livremente idéias sobre o tema abordado. É uma apuração jornalística. Muitas vezes, tem-se a impressão de que Zuenir está escrevendo para um jornal. Fato que se comprova quando o autor vai várias vezes ao terreiro de Ubanda entrevistar a mãe de santo, ou para procurar Kátia, com quem tem sérias conversas acerca de uma misteriosa morte ocorrida no seu passado sombrio.



Ventura expõe também seus problemas pessoais, ao relatar o descobrimento de um câncer na bexiga, que o impedia de urinar normalmente e causava bastante dor. Às vezes brincava com o ocorrido, pois o médico havia dito que ele estava com dois polipos na bexiga. Zuenir logo indaga: seria “pólipos” ou “polipos”? O que se segue é uma maratona de exames e preocupações para o autor, que às vezes vai deixando este assunto de lado para tratar de outras observações do livro.

A investigação da vida de Kátia não pára por aí. Ele tenta descobrir como o seu ex-amor, Fernando, morreu misteriosamente depois de ingerir uma certa quantidade de comida. Zuenir Ventura entrevista várias vezes a filha de santo, tentando descobrir detalhes do ocorrido e da vida dos dois, inclusive de outro homem que também era muito apaixonado por Kátia, o Ivan. Ele havia dito que “entre sexta e domingo”, Fernando voltaria para Kátia através de um pó mágico que era depositado na comida de Fernando. Mas acontece que Ivan, o invejoso, instigou Kátia a usar mais do que o devido, causando “overdose” em Fernando, levando-o à morte. Até mesmo Kátia só foi suspeitar disto depois que Ventura investigou mais profundamente. Descobriu-se que era Digoxina, um químico que pode ser letal e terapêutico ao mesmo. Se houver uso excessivo, pode matar.

Por fim, Ventura comemora o fato de ter desvendado o mistério. “Inveja — Mal Secreto”, é um livro muito interessante, de fato bastante “jornalístico”, uma característica inerente ao autor, já que ele exerce a profissão. É uma leitura obrigatória para quem gosta de mistério, aventura e suspense em um só lugar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia do Curinga, Jostein Gaarder

Ao terminar o livro, um pensamento rápido: queria ter entrado no mundo do Hans-Thomas. Ter saído de Hisoy, na Noruega, num Fiat vermelho com o pai dele à procura de alguma coisa, algum ‘sentido' para a vida. Afinal, a vida não é isso? Parece que estamos sempre em busca de algum significado para tudo. Eles foram procurar alguém especial - a mãe de Hans-Thomas - e nessa aventura descobriam dezenas de histórias e exploraram as mais intensas divagações sobre o mundo e a filosofia.

No meio dessa tal viagem, um livro misterioso desencadeia uma narrativa paralela, em que mitos gregos, maldições de família, náufragos e cartas de baralho que ganham vida transformam a viagem do menino numa autêntica iniciação à busca do conhecimento.

Como ele acha esse livro? Estavam abastecendo em um posto de gasolina quando um anão se aproxima de Hans-Thomas e entrega uma lupa para ele e diz: você precisará desta lupa. Guarde-a.

Mais tarde, em Dorf, Hans entra numa padaria e descobre um livrinho minúscul…

A Boa Filha, de Karin Slaughter - O primeiro Kit da TAG Inéditos

Quando a TAG Experiências Literárias foi lançada, fiquei naquela dúvida se realmente valeria a pena. Fiquei desconfiado pela ideia de receber livros "surpresas" em casa, mesmo se viessem com algum mimo e outros objetos para justificar o valor pago mensalmente. Fiquei 'namorando' a vontade de assinar por bastante tempo, até que fiquei sabendo de uma reformulação da proposta. Hoje, a TAG se compõe de Tag Curadoria e TAG Inéditos. Foi este último que me chamou a atenção.

A TAG Curadoria continua com a premissa inicial: edições de luxo com mimos, cujas histórias são indicadas por grandes nomes da literatura. Ok. Já a TAG Inéditosme ganhou pela proposta de enviar aos assinantes obras de fato inéditas no país, inclusive traduzidas especialmente para os leitores do clube. Fiquei interessado quase instantaneamente. Quais livros eu leria que ainda não foram lançados no Brasil e que seriam tão cativantes assim? Não resisti ao impulso: peguei o cartão de crédito (já tomado por…